Botellini – o restaurante vegetariano, nas Caldas da Rainha, que nos coloca frente a frente com arte contemporânea


Pelo meio de um negócio de família, cultivado e criado por Marisa Botelho e os seus filhos, Matilde e Simão, nasce Botellini, a nova aposta gastronómica na cidade de Caldas da Rainha. Nesta cozinha é atribuído o selo vegetariano a todos os pratos confeccionados, sejam eles portugueses ou internacionais. Para além disso, há arte para contemplar.

“O meu irmão já há muitos anos que tinha a ideia de abrir um restaurante vegetariano.”, começa por nos contar Matilde, numa tarde de verão em Agosto.  Confessa que o vegetarianismo nem sempre fez parte das suas vidas, mas que a paixão pela culinária sempre esteve presente no seu irmão. “Desde  pequenino que o meu irmão gostava de ir para a cozinha fazer receitas, onde eu aproveitava para ir comer (risos), e sempre se interessou muito por culinária.”

Matilde é licenciada em Design de Multimédia e Simão em Design Industrial, mas a vontade de abrir um estabelecimento de restauração sempre fez parte dos projetos futuros dos dois irmãos.  “O meu irmão antes de ir para a faculdade tinha visto um espaço, aqui nas Caldas, que tinha gostado muito e que queria abrir, só que depois por uma questão de dinheiro e da altura que era não abrimos.” Após terminarem o curso superior decidiram alugar um espaço nas Caldas, onde acabaria por nascer o Botellini. Para se juntar ao negócio, a sua mãe, Marisa Botelho, mudou-se de Grândola para Caldas, “Chegou uma altura que a nossa mãe nos disse que queria era estar ao pé dos filhos!”, refere Matilde.

Os almoços funcionam com pratos do dia e menus variados. O menu inclui o prato principal e a escolha de sopa e salada ou sopa e sobremesa, onde o maior foco é na utilização de produtos frescos, biológicos e nutricionais. Ao jantar dispõem de serviço à carta, com um menu “absolutamente delicioso, inspiração variada, acompanhado de uma escolha musical completamente surpreendente”, como se pode ler no website. Este menu vai-se alterando sazonalmente, correspondendo sempre aos produtos da época disponíveis no mercado.

Apesar de ser um restaurante vegetariano e de apresentarem uma ementa pequena, Matilde afirma que é importante saber criar pratos para todos os gostos e dietas, “O vegetarianismo é sempre associado com o ser saudável e não quer dizer que não deveria de ser, porque devia, mas não é só, e as pessoas têm que ter gosto a comer. Nós servimos batatas fritas, mas também servimos pratos mais saudáveis, porque a ideia é dar a conhecer o vegetarianismo a quem não conhece e trazer novidade e algo desconhecido para aqueles que já conhecem.” Na ementa, há pratos não só portugueses como também do mundo inteiro, como o típico À Bulhão Pato  (3,5€) até ao Risotto alla Zuca (8€), proveniente do norte de Itália.

A confecção dos pratos é liderada por Marisa durante a hora do almoço e à noite o avental é entregue ao filho Simão, onde coloca em prática os seus pratos alternativos e completamente originais. O famoso fish and chips ganhou lugar na ementa noturna durante o verão, “Muitas pessoas ficaram intrigadas ao consumir esta inovação devido ao facto de usarmos um ingrediente muito semelhante à textura do peixe.”, conta-nos.

Pratos como o No Meat Burguer (8€) e a Tarte com Crumble (4€) são duas das opões que a família pretende manter no menu, no entanto vai-se moldando ao longo das estações. O primeiro prato tornou-se a estrela entre os seus clientes, pois é o prato que sai muito para o público não vegetariano, devido à sua semelhança com a carne. Como Simão refere, “Nós temos dois públicos, o público que é literalmente vegetariano, que não quer de todo ter um produto que é semelhante com a carne e temos um público que nunca experimentou um prato vegetariano e esta é a entrada deles. Então nós temos que conseguir ter um produto que dê um bocadinho aos dois.”.

Devido à sua envolvência com o mundo das artes, surgiu a idea de dar espaço a este ofício no seu restaurante. De 15 em 15 dias o Botellini alberga galerias artísticas de variados artistas nacionais, onde é possível realizar a compra de quadros através do C’art Blog.

Exposição de Pop Art da artista Cecilia Pinho

Para além do espaço luminoso e amplo nas duas salas de refeição, há também uma esplanada por explorar. Neste terraço pode ser encontrada uma pequena horta, onde produzem certos alimentos de acordo com as necessidades da elaboração de determinadas receitas. Simão refere, ” A ideia era ser quase criar uma horta comunitária, ou seja, as pessoas puderem vir e usufruir da mesma. Queremos que as pessoas não se interessem só pelo restaurante em si, mas também por aquilo que nós produzimos, envolvendo-se, neste caso, com a nossa agricultura.”

Botellini funciona de Domingo a Sexta das 12:30 às 14:30, para almoços e de Domingo a Quinta das 19:30 às 21:30, para jantares, encerrando aos sábados. O serviço take-away está também disponível caso queria desfrutar da sua refeição em sua casa.

Apesar de se apelidar como um restaurante vegetariano, é de frisar que nenhum produto utilizado na cozinha é de origem animal, seguindo a linha do vegetarianismo estrito.

Este restaurante muda, sem dúvida, a perspetiva em relação à comida vegetariana. A inovação, o sabor e o ambiente cordial transbordam no Botellini – sem dúvida um restaurante de excelência.