FBAC até de madrugada, Casa Plástica para todos e finlandeses a fechar a noite – Dia 1 do Festival A Porta


Escrito por:
Fotografia por:
Teresa Neto
Teresa Neto
                       

Últimos posts de Teresa Neto (see all)

    O primeiro dia de Festival A Porta abriu  apenas às 18h30 mas prolongou-se por muitas horas de festa. Os finlandeses K-X-P deram festa na Stereogun.

    Todos aguardavam e assim aconteceu. Ao final da tarde a Casa Plástica abriu, assim como a quinta edição do Festival A Porta.

    Todas as exposições estão, até ao próximo dia 23 de junho, para o público em geral. São dezenas de quadros, uns para ver, outros para refletir e ainda mais uns para questionar.

    Ao mesmo tempo começa uma das maiores (senão a maior) loucura do Festival A Porta: os First Breath After Coma decidiram dar um concerto de 24 horas, ou seja, com começo às 19h30, este concerto ia até à mesma hora do dia seguinte. Observamos o seu começo e ainda replicamos com uma visita de madrugada – e eles nem mesmo a altas horas abrandaram, incrível!

    Ao início da noite lá estava Captain Casablanca, o vocalista dos Liima, pronto para rasgar em registos eletrónicos, e contagiar assim a centena de pessoas que estavam ali para assistir ao seu concerto.

    A noite prolongou-se na Stereogun. Primeiro os finlandeses K-X-P eletrizaram a pista, com temas ruidosos que fizeram abanar por completo as cabeças dos espetadores. Os ares nórdicos estão rejuvenescidos e evidenciaram-se durante mais de uma hora na sala de concertos, em Leiria.

    Por fim,  DJ Set Peregrino e Themoted Suspiro entram nas vibes dos 70 e do post punk e rock psicadélico para terminar a primeira noite em grande estilo. Vêm aí muitos e bons dias do Festival A Porta!

    First Breath After Coma versão 24h
    First Breath After Coma versão 24h

    Feedback do público:

    Walter Santos – O Festival A Porta começou a um ritmo alucinante. A afluência à Casa Plástica (concertos de Captain Casablanca e 24horas de FBAC) foi tanta que o concerto dos finlandeses K-X-P teve de começar com um pouco de atraso para que todos os que lá estavam pudessem descer até à Stereogun. Um bom e justificado motivo, portanto!

    Marta Lisboa – Na Casa Plástica super bom ambiente a começar com concerto dos FBAC. As exposições estavam cinco estrelas. E a noite foi ficando ainda mais animada com o concerto do Captain Casablanca.
    A cereja no topo do bolo acabando na Stereogun com K-X-P que meteram a casa a arder. Não conhecia, foi surpreendente. Grande começo de festival!