4 diferentes tipos de arte para experenciar na Casa Plástica – Festival A Porta


A Casa Plástica estará presente mais um ano no Festival A Porta. Apresentamos 4 polos artísticos para ver no Antigo Edifício da EDP

 

A Casa Plástica é a grande exposição colectiva de artes visuais do Festival A Porta, que ocupa o Antigo Edifício da EDP. 

A curadoria deste ano está entregue a João Pedro Fonseca e Lara Portela, com o tema “nada muda de forma como as nuvens, a não ser os rochedos”. A frase de Victor Hugo que dá nome à exposição fala de tempo, leveza, peso, matéria, transformação e poesia. De 14 a 23 de junho, pode ver um programa de performances, concertos, workshops e visitas guiadas. Deixamos aqui tudo o que não vai poder perder:

  • Dezenas de bonitas exposições 

Entre artistas convidados e propostas apresentadas na open call, a exposição reúne trabalhos que partiram da ideia de matéria: como matéria-prima ou matéria na sua vertente mais poética e plástica – para revelar, divergir ou explorar o tema.
Os artistas Alexandra Dias Ferreira, Ana Battaglia Abreu, Daniel Blaufuks, Daniela Pinheiro, Darr Tah Lei, Gil Ferrão, Inês Serpente, Joana Marcelino, Joana Patrão, Leonardo Rito & Bruno Gaspar, Mariana Malheiro, Micael Ferreira, PIZZ BUIN, Raquel Nogueira, Susana Soares Pinto, Telmo Ribeiro, Telmo Silva, Teresa Gameiro e Vera Gomes vão ter várias obras e pinturas espalhadas pela Casa Plástica.
As obras podem ser apreciadas e muitas vezes com a presença dos próprios artistas.

  • 3 Performances de encher o olho

«COLOR CHART: A MOVEMENT OF PERCEPTION»

DANIELA PINHEIRO

Num limbo entre a montagem do trabalho e a sua criação, esta peça é uma pintura composta por 21 módulos de amostras de cores que irão assumir diversas variações de composição.

«VÉNUS EM FÚRIAS»

PIZZ BUIN

«VÉNUS EM FÚRIAS» trata a condição do artista ao querer concretizar a sua obra: a precariedade dos meios, e a constante falta de solidariedade do entrepreneur cultural. Neste contexto, este projecto é a Vénus possível. Resulta de um processo de recolha e selecção de textos, emails e conversas entre as artistas sobre o seu extenso, disperso e variável projecto “Vénus”.
A partir desta selecção, Rubene Palma Ramos escreveu a peça Vénus em Fúrias, que as artistas interpretam numa acção performativa, na qual dialogam sobre a possibilidade e impossibilidade de materializar as suas Vénus.

«DÉDALO»

URSO PARDO

Como se constrói uma casa? É esta a pergunta que dois atores e um autor ausente tentam responder. A casa é uma metáfora para a família, para o amor e para o auto-conhecimento, e as três personagens vivem a impossibilidade de alcançarem cada uma dessas três coisas em diferentes momentos da vida.
Dédalo é a segunda parte de uma trilogia de Miguel Graça que se iniciou em 2016 com Minotauro e terminará em 2018 com Ariadne. Os textos têm em comum, para além da relação com as figuras mitológicas, a ilusão de que não existe uma realidade efabulada, sendo o dispositivo dramático do aqui e agora o motor da acção, o que leva a uma (aparente) ausência de personagens e a uma mistura entre realidade e ficção.

 

  • 3 super concertos
First Breath After Coma, por Teresa Neto

Os First Breath After Coma terão uma performance imersiva de 24 horas, das 19h30 de sexta-feira 14 junho, às 19h30 de sábado 15 junho. Uma experiência única que será ao mesmo tempo desafio, tanto para a banda como para o próprio público.

Captain Casablanca é o projeto a solo de Casper Clausen, a voz da banda Liima e apresenta-se pela primeira vez na cidade.

O duo leiriense Me and My Brain atuam mais uma vez na sua cidade, abordando melodias eletrónicas viajantes. Nuno Dionísio e Rui Seiça estão preparados para eletrizar a Casa Plástica.

 

  • Um workshop de Escrita e Imaginação

O workshop Escrita e Imaginação vai estar a cargo do multi-premiado escritor português Gonçalo M. Tavares. O escritor propõe um conjunto de exercícios práticos de aplicação de conceitos em redor da linguagem e imaginação. O workshop é fruto de uma parceria do Festival A Porta com a Livraria Arquivo. A inscrição é obrigatória e vale 25€, com inscrições em www.festivalaporta.pt ou na Livraria Arquivo.

 

PROGRAMAÇÃO

Sexta 14
19h: Abertura
19h30: Performance Sonora – 24H First Breath After Coma
21h30: Concerto – Captain Casablanca

Sábado 15
15h30: Performance – Daniela Pinheiro – Color Chart: a movement of perception
17h00: Performance – Pizz Buin – Vénus Em Fúrias
18h00: Performance – Urso Pardo (Miguel Esteve e Pedro Caeiro) – Dédalo
Domingo 16

14h30-17h30 Curso  Escrita e Imaginação- Gonçalo M. Tavares- Livraria Arquivo
16h00: Concerto – Me & My Brain – How Long Is Now

Domingo 23

16h: Visita guiada ao público em geral.

 

HORÁRIO – 14 a 23 de Junho

– Público Geral
15, 16, 20, 22 e 23 de Junho das 15h às 20h
17 a 21 de Junho das 17h às 20h

– Serviço Educativo
17, 18, 19 e 21 de Junho das 09h30 às 16h14 e 15 de Junho aberta 24 horas para performance: «24H FIRST BREATH AFTER COMA»