Crítica: Dois Perfeitos Estranhos ou a fábula brutal dos tempos raciais que vivemos


A curta metragem está indicada aos Óscares e não é difícil perceber o porquê. A crítica construtiva a Dois Perfeitos Estranhos, a nova ficção da Netflix.

Se há mensagens subliminares que devemos tirar dos filmes, algo que possamos refletir e mudar a nossa mentalidade, eu, na perspetiva de um “homem branco privilegiado”, consegui sentir tudo isto em apenas 30 minutos de Dois Perfeitos Estranhos, a nova curta em streaming da Netflix.

Desde o dia 9 de abril na plataforma, esta curta metragem foi esquematizada com um propósito muito subtil de nos relacionarmos com algo que é mais evidente e “promovido” nos últimos anos: o racismo. E a verdade é que é impossível ficar indiferente à brutalidade que se passa sucessivamente – sim, porque o argumento da história está centrado na repetição de tempo, também conhecido como looping. Um filme que faz lembrar o mítico “O Feitiço do Tempo” ou os recentes “Boneca Russa” ou “Palm Springs”. Porém, aqui o assunto é tão sério que não há espaço para qualquer tipo de comédia.

O rapper Joey Bada$$ interpreta Carter James, um cartoonista afro-americano que acorda na cama de uma mulher desconhecida, que se afigura ter sido uma one night stand. O objetivo da personagem principal é bastante simples: despachar-se para conseguir ir passear o seu cão. Mas, à saída do apartamento e após um mal entendido, um polícia branco interpela-o e age agressivamente acusando a personagem de vender drogas. Como Carter tenta resistir, o polícia age de uma maneira completamente visceral apertando-lhe o pescoço. A personagem só consegue dizer “I can’t breath”, morrendo segundos depois.

As referências são mais que óbvias à situação racial que fez ecoar todo o mundo nas palavras desvanecidas de George Floyd, no momento em que a polícia não controlava a sua fúria e lhe acabaria por tirar a vida…

Voltando ao filme, após a sua “primeira morte” acorda exatamente no mesmo sítio, na mesma cama e com as situações a acontecerem-lhe repetidamente. O que infelizmente também se repete são diferentes formas de o polícia lhe continuar a intercalar, agredir e acabar por matá-lo uma e outra vez.

Uma curta metragem pesada, que vai ganhando forma à medida que Carter James tenta arranjar novas formas de sobreviver!

 

Esta curta metragem está indicada ao prémio de melhor Óscar na categoria com o mesmo nome. E é certo que num ano de 2020 completamente atípico, vença uma história tão pertinente neste mesmo ano!

 

Classificação TIL: 8,5 / 10

Reportagem: “Pedalei pela nova Polis – e foi bom ninguém estar em perigo de ir parar ao betuminoso”


O editor da TIL esperou ansiosamente pela reabertura do Percurso Polis para testar a sua veia de ciclista citadino.

Se é um peão regular do Percurso Polis e se revoltou com o título, apresento-lhe desde já o meu mea culpa – isto porque também o sou há anos, e desde que moro no centro da cidade, ando a pé neste caminho com uma periodicidade praticamente diária.

Porém, envolvido pela consciência ambiental e com a promoção de uma cidade mais verde, amiga do ambiente e com obras solidárias a favor de uma condução segura dos ciclistas, decidi em meados de 2020 adquirir uma bicicleta elétrica. Tudo isto ainda é demasiado novo para mim: não sou um trepador como o nosso conterrâneo das Caldas da Rainha, João Almeida (4º classificado no Giro). Também não sou apreciador de calções de licra, confesso. Mas há algo ligado às bicicletas que me fascina – provavelmente a leveza e a apreciação do que está à nossa volta. Ou seja, sem pressas – prática que me parece essencial neste percurso. Já agora também aproveito para questionar alguém do Município de Leiria sobre os apoios à aquisição deste tipo de veículo no programa Renovar Leiria , onde falaram em “incentivos” mas que nunca saiu do plano teórico, pelo menos até ao dia de hoje. Continuo com a minha fatura à espera de novidades!

Bom, felizmente o que não precisamos de esperar mais é a abertura da Polis. Reabriu segunda, dia 5 de abril de 2021, entre o Jardim da Vala e São Romão, no caminho junto ao Rio Lis. E claro que o grande destaque das obras vai para o já famoso betuminoso – que é giro por si só porque nunca nenhum leiriense se sentiu tão acostumado a dizer a palavra “betuminoso”. Não é alcatroado, é chão betuminoso! E porque é uma palavra divertida de se dizer, aceitei com bom agrado este piso – especialmente para o meu vocabulário.

 

Dividido por duas faixas – de cor bege para os peões e cor verde para os ciclistas – o caminho Polis está agora mais organizado e menos susceptível a acidentes. E sinceramente, poder pedalar tranquilamente sem a ansiedade de atropelar alguém que de repente atravessa-se pelo caminho, parece-me sempre uma ideia a instaurar! Do próprio lado dos peões, talvez se possa questionar em algumas zonas a largura da faixa bege (em especial, ali perto da Igreja de Santo Agostinho) mas de resto, é seguramente bem mais seguro para todos, passo a redundância.

Nesta hora de almoço que aproveitei para conhecer o novo percurso, vi já outros cidadãos  a usufruírem da reabertura do espaço – peões e corredores do lado bege e ciclistas do lado verde. Ou seja, todos a cumprirem com as normas de maneira exímia! 

Uma nota também para as duas novas pontes desenvolvidas em madeira, que agora agregam o itinerário. Com larguras muito generosas, há que dizê-lo.

Do lado mais triste de todas estas remodelações, não posso deixar de aproveitar para fazer um parágrafo de silêncio em nome de todas as árvores junto ao percurso betuminoso que deixaram de existir. Não foram muitas, é certo. Mas foram árvores e isso chega numa cidade em que o verde ainda não há em excesso:

———————————————————————————————————————————————————————————–. Cá fica.

Sobre recomendações, questiono o Município (porque não sei se é possível) se se conseguia criar um percurso que interligue de forma mais dinâmica este Percurso Polis à nova ciclovia no centro da cidade. É essencial que não existam zonas cinzentas, onde, claramente, um ciclista citadino como eu pode estar em perigo ao sair do Polis e entrar na estrada, e vice-versa. Tanto para os peões no Polis, como para os carros na estrada. Quando tivermos esta uniformização, acho que aí poderemos falar em obra completa.

Percurso Polis
Nova ponte no Percurso Polis

Já agora, aproveito para partilhar as recomendações de segurança e de circulação dado pelo Município de Leiria e que se pode ver em alguns letreiros do Percurso Polis:

  • Respeite os espaços destinados a cada utilizador e a cada modalidade
  • Mantenha-se dentro das marcações da via adequada à sua modalidade
  • Se tiver de atravessar zonas de outra modalidade, pare e certifique-se de que é visto/a
  • Se usar telemóvel ou parar, utilize as zonas de descanso
  • Se trouxer crianças, mantenha-as próximas de si
  • Dê prioridade a carrinhos de bebé, grávidas e pessoas com mobilidade reduzida
  • Se for acompanhado/a de algum animal de estimação, traga uma trela curta (não extensível)

 

Se for de bicicleta:

  • Adote velocidades adequadas que permitam garantir a sua segurança e dos outros utilizadores
  • Reduza a velocidade ao passar junto a peões
  • Em grupo, circule sempre em fila
  • Para dar indicação da sua passagem, utilize campainha durante o dia e uma luz à noite
  • Não use auriculares
  • Se for com crianças ou em bicicleta elétrica, garanta o uso do capacete

 

Boas caminhadas e boas pedaladas para todos!

Crítica: Promising Young Woman – a vingança serve-se no feminino

critica promising young woman

Outro dos destaques nas nomeações dos Oscares é Promising Young Woman, um filme necessário que retrata a desigualdade e a falta de respeito pelas mulheres.

Se existem filmes que fazem muito sentido em determinadas épocas e mais tarde se tornam opções de culto, então este Promising Young Woman deve ser olhado como uma película do momento mais alto e representativo do movimento “Me Too”, que começou a ecoar a meio da década passada.

Felizmente há cada vez uma visão mais correta do poder da mulher sobre o mundo. Se há pouco mais de 20 anos os estereótipos eram imensos e básicos, como o de uma mulher ter de fazer tudo em casa ou ser destratada, o que também é verdade é que em pleno 2021 isto ainda acontece. Em menor número mas exatamente com a mesma repulsa!

O filme escrito e realizado por Emerald Fennell (autora da série Killing Eve) vem dar exatamente esta perspetiva de task ainda nada completa, com as mulheres a serem postas de parte e serem vistas muitas vezes como um simples objeto. Só que, claro, com um twist necessário: o empoderamento das mulheres face a estas questões, quase que de uma forma tão solidária quanto heróica.

Promising Young Woman é protagonizado por Carey Mulligan, ela que tem aqui provavelmente o papel da sua vida. A sua personagem, Cassandra, é uma mulher com traumas diversos e que leva esses traumas ao extremo, ao todas as noites se fingir embriagada em bares para que homens mal intencionados se aproveitem dela, mais tarde, em suas casas. Assim, Cassandra funciona quase como uma polícia à paisana com super poderes de Mulher Vingativa.

Esta capa de super heroína diária em nome de todas as mulheres confronta-se mais tarde com um novo homem, completamente diferente do estereótipo que encontra à noite – este é desajeitado, antigo colega de liceu e apenas quer marcar um encontro para conhecer melhor e talvez se apaixonar por Cassandra. Com os traumas do passado, ela tem dificuldade em lidar com qualquer tipo de homem e isso poderá tornar-se impeditivo para algo mais sério. A vingança está sempre na cabeça da protagonista…

 

Com uma boa dose de humor negro e um tipo de thriller/suspense que consegue agarrar o espetador, não é surpreendente que este filme esteja como um dos grandes nomeados dos Óscares, para cinco estatuetas: Melhor Filme, Melhor Actriz, Melhor Realização, Argumento Original e Melhor Edição.

Resumindo, Promising Young Woman é um diploma contra a cultura machista e merece uma visualização cuidada por todos, especialmente pelos homens!

Classificação TIL: 8/10

Leiria no Top 2 de cidades portuguesas com melhor qualidade de vida!

Rua Direita Leiria

Escrito por: Fotografia por:
Teresa Neto
Teresa Neto
                       

Últimos posts de Teresa Neto (see all)

    Estudo da Deco Proteste envolveu 12 das principais cidades portuguesas. Organização destaca que Leiria lidou bem com a crise pandémica

    “Porque é que vives em Leiria?” É uma das perguntas mais clássicas dos amigos que vivem nas grandes metrópoles. Se costuma responder (e bem) com “qualidade de vida”, esta notícia serve meramente para o justificar. É que a Deco Proteste lançou um estudo que dá a cidade leiriense como a segunda mais cotada no ranking de “cidades portuguesas com melhor qualidade de vida”.

    Cerca de 3500 pessoas foram inquiridas no final do ano de 2020, respondendo a várias questões sobre dez vertentes, tais como o custo de vida, a segurança e criminalidade e a limpeza e gestão de resíduos. Basicamente tudo o que põe em causa uma melhor qualidade de vida urbana.

    A organização de defesa do consumidor concluiu ainda que “Leiria lidou bem com a crise”. Apesar de se ter chegado à conclusão da queda da qualidade de vida face à pandemia, a verdade é que os habitantes da cidade “revelaram-se os mais satisfeitos com o desempenho municipal, desde o momento em que a crise do coronavírus começou (março de 2020) até à altura em que preencheram o inquérito, no final de 2020”.

    A cidade de Leiria obteve um resultado de 7,1, valor igual ao de Braga e só atrás de Viseu – a cidade vencedora que atingiu 7,4. Abaixo da média estão Porto e Lisboa (6,5 e 6,2, respetivamente).

    Há um Leiriense nomeado para o World Press Photo – e pode ir ver a sua exposição ao ar livre!


    Nuno André Ferreira, fotojornalista da agência Lusa, está nomeado para os prémios mais famosos de fotografia!

    Desconfinar é com cuidado e, se possível, com cultura! E melhor ainda se for com cultura da mais alta qualidade. É o caso das fotografias incríveis do fotojornalista da Agência Lusa, Nuno André Ferreira, leiriense recentemente nomeado ao prémio de melhor foto no World Press Photo – uma espécie de óscares do fotojornalismo!

    A primeira exposição do fotojornalista da Lusa será na sua cidade mãe, instalada na montra do novíssimo espaço Café Central (na Travessa da Misericórdia, junto ao Centro de Diálogo Intercultural de Leiria) e é observada da rua, ao ar livre. Ou seja, duas grandes vantagens: é grátis e sem risco de transmissão de vírus!

    Nesta montra estão reunidas dez fotografias, incluindo a imagem seleccionada pelo júri do WorldPress Photo 2021 (captada em 7 de Setembro de 2020 numa aldeia do concelho de Oliveira de Frades ameaçada por chamas, com um bebé no banco traseiro de um carro) e a imagem vencedora do Prémio Rei de Espanha 2018 (o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a confortar um idoso depois dos fogos de Outubro de 2017 na região centro). Ambas publicadas pela agência Lusa.

     

     
     
     
     
     
    Ver esta publicação no Instagram
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     

     

    Uma publicação partilhada por World Press Photo Foundation (@worldpressphoto)

     

    Os grandes incêndios, a pandemia de Covid-19, a cultura do vinho e o
    Portugal rural e interior são temas que dominam a exposição, um exemplo emocionante do que o fotojornalismo alcança nos momentos em que se
    cumpre.

    A exposição está a funcionar até dia 15 de abril.

    Deem as boas vindas ao Mercure Fátima – o novo hotel no coração de Portugal


    Inspirado na árvore Plátano, este novo hotel em Fátima tem mais de 70 quartos. Tem também incorporado o restaurante Plane Tree Bistrô & Bar.

    Se todos os caminhos vão dar a Roma (como nos diz o provérbio), pela quantidade de alojamentos disponíveis em Fátima, não é descabido afirmar que: “Todos os Hóteis vão dar a Fátima”.

    O Mercure Fátima é a nova proposta de Mercure Hotels em Portugal. O novo hotel de quatro estrelas, da reconhecida Casa Plátano. Está localizado na Rua Cónego Manuel Nunes Formigão 4, a cinco minutos a pé do Santuário de Fátima, junto à icónica Basílica da Santíssima Trindade.

    Fundada em 1979, em Fátima, a Casa Plátano é uma reconhecida marca de comercialização de objetos e lembranças religiosas e souvenirs de Portugal. A empresa dispõe ainda de uma cafetaria e de um restaurante inspirado na gastronomia portuguesa e internacional, com uma decoração contemporânea e uma vista ampla sobre a cidade. Com o novo hotel Mercure Fátima, a Casa Plátano amplia agora o seu leque de serviços para a hotelaria.

    Experiências locais e autênticas na zona centro de Portugal

    O novo hotel Mercure Fátima é a escolha perfeita para os viajantes que procuram experiências locais e autênticas, proporcionando um refúgio ligado à simbologia e atmosfera espiritual que a cidade transmite e que a Casa Plátano bem conhece.

    Através das “Local Discoveries”, a brand passion da marca, o Mercure Fátima promove uma inspiração local, recomendando e proporcionando experiências para que cada visitante se sinta como um verdadeiro local. Os hotéis Mercure tornam-se, assim, ponto de partida para que cada cliente conheça de forma única a cidade onde se encontra, com as equipas de cada hotel preparadas para recomendar inúmeras experiências que promovam o “sentir-se como um local”. O programa Discover Local potencia a colaboração com fornecedores locais, valorizando os elementos de cada cidade e proporcionando experiências associadas à cultura, património, gastronomia, turismo, etc.

    Novos serviços e aposta numa alimentação saudável e sustentável

    Hall de entrada

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    O Mercure Fátima conta com 72 quartos de tipologias distintas, oferecendo também quartos para pessoas com mobilidade reduzida. Inspirado na árvore Plátano, que predomina na principal avenida de Fátima, este hotel caracteriza-se por ser um espaço neutro e repleto de luz, dispondo de serviço de teleconsulta médica gratuita, através de uma parceria com a AXA, receção e room service 24 horas, parque de estacionamento, bar e restaurante.

    O Plane Tree Bistrô & Bar é o espaço destinado às refeições do Mercure Fátima. Oferece um menu de inspiração portuguesa, com pratos típicos, saladas e aperitivos. É possível encontrar pratos como lombo de bacalhau assado no forno servido com brás de espargos verdes e molho de pimentão fumado, naco de vitelão dos Açores com chips de batata, coleslaw e molho de mostarda, e coxa de pato a baixa temperatura com arroz de forno e picle de legumes. Ainda estão disponíveis sobremesas irresistíveis como pudim de vinho do Porto e laranja servido com fruta marinada em baunilha e suspiros de café, e brownie de chocolate e nozes com gelado de laranja algarvia. Os clientes do Mercure Fátima poderão ainda usufruir do restaurante Casa Plátano, inserido no edifício do hotel.

    Compromisso com a sustentabilidade ambiental com Planet21 – Acting Here

    O Mercure Fátima compromete-se com a elevada aposta do Grupo Accor na Responsabilidade Social Corporativa, implementando progressivamente o seu programa de práticas de sustentabilidade ambiental: o Planet21 – Acting Here. O programa tem como prioridades apostar numa boa gestão dos recursos, com o objetivo de minimizar o impacto ambiental; a reflorestação, de que é exemplo a iniciativa Plant for the Planet; e a promoção de uma alimentação saudável e responsável.

     

    A Mercure Hotels passa assim a ter o seu primeiro hotel na região de Leiria. Agora, disponibilizam uma oferta de oito hotéis em Portugal: Mercure Braga Centro, Mercure Figueira da Foz, Mercure Lisboa, Mercure Lisboa Almada, Mercure Porto Centro Santa Catarina, Mercure Porto Gaia, Mercure Porto Cento Aliados e, agora, Mercure Fátima.

    Receitas para a quarentena: Salada de Laranja, pela Taberna de Cister


    Nesta rubrica a TIL junta-se a restaurantes locais para nos ajudarem a inovar na cozinha. A Taberna de Cister, na Pedra do Ouro, sugere-nos uma receita de Salada de Laranja.

    A Taberna de Cister localiza-se na Pedra do Ouro, em Alcobaça. A receita de Salada de Laranja, proposta pelo Chef Miguel Feliciano, é um petisco fora do comum mas nem por isso menos saboroso, indicado para 2 pessoas.

     

    Ingredientes:

    – 3 Laranjas
    – 1/4 Cebola Roxa 
    – 1/2 Limão
    – Queijo de Ovelha Cura Longa
    – 2 Colheres de Sopa de Miolo de Noz
    – Mel q.b.
    – Vinagre de Vinho Tinto q.b.
    – Sal Fino q.b.
    – Pimenta Preta q.b.
    – Azeite q.b.
     
    receita Salada Laranja
     

    Preparação:

    – Para o Vinagrete, que irá temperar a salada, juntamos numa taça sumo de 1 laranja, sumo de 1/2 limão, um fio de azeite, sal fino q.b., vinagre de vinho tinto q.b. e mexe-se com um garfo até ficar com uma textura uniforme.
     
    – Numa 2ª taça colocamos 4 colheres de sopa de queijo de ovelha cura longa aos cubos, juntamos as nozes e temperamos com pimenta, mel e azeite.
     
    – Noutra taça cortamos 2 laranjas em gomos, juntamos 1/4 de cebola roxa laminada e o vinagrete previamente confeccionado, envolvemos bem a mistura e retificamos o tempero, se necessário.
     
    – Para empratar colocamos a mistura do queijo com as nozes no fundo do recipiente, dispomos em cima a mistura da laranja e cebola roxa de forma irregular e regamos com o vinagrete. Bom apetite!
     

    Funcionamento da Taberna de Cister na quarentena

    Horário: de terça a domingo – 12h30 às 15h e 19h às 22H
    Take away

    Produtos disponíveis:

    Menu de Inverno;

    Pratos do dia e Pizzas;

    Pão em Forno a Lenha.

    (mais informações nas redes sociais da Taberna de Cister)

    Tasca do Taborda: segredos para criar novas experiências à mesa

    Tasca do Taborda

    Chutneys com frutas da região, cookies com twist de sabores e bolos inspirados na pastelaria internacional são algumas das boas surpresas desta dark kitchen artesanal.

    Uma cozinha com afeto e história, concebida e lançada em Leiria. É este o briefing de apresentação da Tasca do Taborda, um projeto ainda sem loja física, que nasce pelas mãos de um jovem casal, decidido a proporcionar novas experiências à mesa dos comensais leirienses.

    “A Tasca nasce de uma brincadeira entre amigos”, resume, sem pretensões, Pedro Teles. “Logo que nos mudámos para a Quinta do Taborda, em Leiria, começámos a fazer alguns jantares para apresentar a nova casa e os sabores sempre rendiam bons feedbacks dos convidados”, lembra, deixando pistas do porquê do nome escolhido.

    Próxima ao centro de Leiria, a produção da Tasca ganhou vida no último Natal com o mesmo propósito que se mantém hoje: oferecer prendas que criassem bons momentos de partilha à mesa, mesmo com a distância imposta pelos novos tempos. Primeiro chegaram aos familiares, depois aos amigos e, em poucas semanas, a ementa oficial do negócio já estava ao alcance de um click no perfil do Instagram.

    “A ideia nunca foi apresentar sabores vulgares”, sublinha Pedro que, ao lado da
    companheira, se inspira, cria e testa cada uma das receitas artesanais. “O nosso cardápio é curto mas completo em si”, explica, antes de acrescentar: “E há sempre espaço para pequenas surpresas e lançamentos da temporada, como foi o caso do brigadeiro de gorgonzola feito especialmente para as boxes do Dia de São Valentim”, refere. Devido ao sucesso de pedidos, a receita agora faz parte da ementa fixa.

    Para breve, o casal já anda a planear os sabores para o Dia do Pai e também um formato de kit degustação (8€), onde irão apresentar cinco dos produtos da Tasca em versão miniatura. “A ideia é que as pessoas que ainda não nos conhecem possam ter uma experiência quase completa da nossa proposta. Para os clientes que já nos acompanham, é uma opção de combinar vários dos nossos sabores numa única ocasião”, explica o conceito.

    Intitulada de “Para levar e lembrar”, a linha fixa de criações tem desde a secção de Chutneys (dos 2€ aos 7€), dedicada aos molhos agridoces com influências asiáticas e à base de frutas da região – o de pêra Rocha do Oeste com vinho do Porto e semente de mostarda é um dos exemplos – até a parte dos Bocados (dos 2,85€ aos 6€), onde estão as cookies de chocolate 70% e sal rosa, os veggies nachos de grão de bico e os frutos secos caramelizados com cúrcuma. “São receitas que trazem, essencialmente, referências e memórias de lugares que visitámos, e permitem que seja possível viajar sem sair de casa, mesmo que apenas através dos sabores”, sugere, considerando os dias pandémicos.

    Tasca do Taborda
    Chutneys da Tasca do Taborda

    Para as mesas mais numerosas, o casal pensou nas opções de Pedaço Inteiro (dos 4€ aos 9€), na qual apresentam dois bolos: um Double Chocolate Cake, que, como o próprio nome indica, combina duas doses de chocolate com um toque de banana, e um Carrot Cake aos moldes norte-americano, ou seja, com especiarias, nozes na massa e uma delicada cobertura de cream cheese. “Esperamos que as pessoas se inspirem e recriem nas suas mesas momentos tão especiais como os que temos nas memórias”, almeja Pedro.

    A atenção da dupla vai ainda ao pormenor das embalagens: “Tentamos ao máximo utilizar apenas potes de vidro e papel kraft, prolongando a vida e a utilização dos materiais, que podem ser devolvidos e abatidos com descontos em próximas compras”, avisa o pequeno empresário.

    As encomendas para a Tasca do Taborda podem ser feitas através do perfil do
    Instagram da marca, com o mínimo de 48 horas de antecedência, e levantadas em três pontos de Leiria: na própria Quinta do Taborda, na Pizzanna, localizada na subida da Fonte das Três Bicas, ou ainda na loja Vinhos da Dona Cândida, na Estrada da Estação. Com este último negócio o casal tem também uma parceria, pela qual os produtos que criam podem receber sugestões vínicas de pairing feitas pelo entusiasta dos vinhos, Luís Golegã.

     

    Fotos: Sofia Belchiorinho

    A história mais fofinha: o casamento em pleno Hospital de Leiria!


    Manuel e Susana conheceram-se no Centro Hospitalar de Leiria. Agora, passados 21 anos, decidiram casar-se ali mesmo naquele local!

    Quando o tema é hospital, e ainda por cima neste último ano pandémico, as notícias não costumam ser as melhores. Dado todo este contexto, esta notícia torna-se ainda mais fofinha e especial – esta é a história de amor eternizada em casamento, em pleno Centro Hospitalar de Leiria (CHL), por Manuel e Susana.

    Manuel tem 59 anos, enquanto Susana é sete anos mais nova, tem 52. Tinham-se conhecido exatamente ali, naquele local há 21 anos. A noiva era cabeleireira no salão do hospital e Manuel era um frequentador do salão – como utente.

    A ideia do casamento surgiu pelo noivo. O click do pedido aconteceu num momento em que teve um problema de saúde que o levou a um internamento. Este pedido foi ganhando novos contornos sempre que o próprio tinha sucessivos internamentos ao hospital.

    Decidiram, em conjunto, casar-se no dia de aniversário de Manuel: 22 de fevereiro. Uma nova complicação de saúde de Manuel adiou novamente o casório entre os dois.

    A nova ideia estava consumada: iam casar-se no próprio Hospital de Leiria, local onde se conheceram há mais de duas décadas. Manifestaram essa vontade junto da equipa do hospital e rapidamente tudo foi organizado para que fosse possível.

    O Manuel e a Susana são oficialmente marido e mulher, com o testemunho da Sofia (filha do noivo) e da Bárbara (filha da noiva). A “cerimónia” aconteceu no edíficio da Cirurgia 1.

    O bolo de casamento foi da responsabilidade da Unidade de Nutrição e Dietética do CHL.

    Uma história bonita e que dá um bocadinho mais de força nestes tempos difíceis. Parabéns e muito amor, Manuel e Susana!

     

    Foto: CHL

    Treinos para a quarentena: Elite Fitness 244


    A nova rubrica da TIL quer dinamizar os treinos em casa, no regime da quarentena. Começamos com um treino proposto pelo Elite Fitness 244, localizado na Sismaria, em Leiria.

    Apresentamos-lhe inicialmente o plano de treino e, no fim, poderá executar o mesmo acompanhado do vídeo demonstrativo. Equipe-se a rigor e venha treinar connosco!

    “THE SHOW MUST GO ON!” 

     
    AQUECIMENTO GERAL 
    AMRAP 8′ FOR QUALITY
    10 INCH WORM
    10 FROGGER
    10 BOTTOM SQUAT REACH
    10 FEET ELEVATED GLUTED BRIDGES
     
    AQUECIMENTO ESPECÍFICO 
    2 rondas 30”ON – 10” OFF
    KNEELING SAMSOM STRETCH
    SIDE WHRIST ROCK
     
    TREINO DE CORE /FORÇA 
    3 RONDAS
    10/10 SINGLE LEG ROMANIAN DEAD LIFT (SE TIVERES CARGA E BARRA PODERÁS FAZER EM DEAD LIFT NORMAL) 
    30” SUPER MAN 
     
    WOD 
    20′ AMRAP
    15 CLEAN
    10 SQUAT
    5 SHOULDER TO OVER HEAD
    200 HIGH KNEES + 200 BUTT KICKS /400M RUN
    TARGET + 4 RONDAS
     
    RETORNO À CALMA 
    3 RONDAS 30” ON- 10” OFF
    SEATED STRETCH :
    GLUTES, HAMSTRINGS, ADUCTS