Descubra quais as “Portuguese Odyssey” enumeradas no jornal Philadelphia Sunday


Óbidos, Alcobaça, Batalha, Nazaré e Fátima foram considerados pelo Philadelphia Sunday como lugares encantadores. Portuguese Odyssey foi a expressão que o jornalista deu ao título do artigo, no qual descreve estas “pérolas” de Portugal.

Renée S. Gordon foi o jornalista que se ocupou de descobrir alguns dos espaços mais visitados do distrito de Leiria. No artigo que redigiu, e que veio a público no dia 23 de fevereiro, conta um pouco da história de cada lugar.

O jornalista começa por referir que Lisboa é cheia de atividades, boa cozinha e vinhos e que muitos turistas não exploram a hipótese de se afastarem da cidade para descobrirem o que há, além da capital. Segundo o artigo, “há maravilhas em todo o país bem como experiências únicas que podem ser encontradas até duas horas de carro. As pequenas cidades e aldeias pitorescas vislumbram no coração do país”.

  • Óbidos

Renée Gordon começou por descrever Óbidos como uma Vila rodeadas por muralhas mouriscas do século XIV e com tortuosas ruas levam quem por ali passa a um castelo medieval do século XV, agora um hotel de luxo.

Acrescentou que a rua principal, denominada de Rua Direita, é repleta de lojas, algumas das quais vendem Ginja de Óbidos – “uma bebida tradicional de ginja servida em copo de chocolate”. O jornalista refere ainda a vista panorâmica sobre dos vinhedos, terrenos agrícolas, o aqueduto intacto do século XVI e as ruas internas cobertas de flores.

  • Alcobaça

Renée Gordon referiu Alcobaça como o lar do Património Mundial da UNESCO com a maior igreja de Portugal.

A história Pedro e Inês fizeram-no recuar no tempo e conta aos que desconheciam este romance que acabou em tragédia no ano de 1355 um pouco da história do amor pertencente aos amantes mais famosos de Portugal, o Príncipe Pedro e Inês de Castro.

  • Nazaré

Definida por Renée Gordon como uma vila piscatória do século IV, onde os visitantes podem absorver a atmosfera de uma aldeia aparentemente presa no tempo, o jornalista faz ainda referencia aos barcos de pesca de madeira que revestem a costa. Neste artigo, fez referência à curiosidade de que ainda se acredita que a cidade tenha sido batizada em homenagem a Nazaré na Bíblia.

As nazarenas foram também referenciadas como algo a ser apreciado pelos turistas. Contou que, no passado, as “esposas de peixe” da cidade esperavam os pescadores à beira-mar e, por calor e superstição, vestiam as tradicionais sete saias da Nazaré e sapatos de madeira.

  • Fátima

“Fátima é um dos locais religiosos cristãos mais famosos do mundo e recebe milhões de visitantes internacionais anualmente. Diz-se que o milagre ocorreu de 3 de maio a 13 de outubro de 1917. Três crianças locais – Jacinta 7, Santos 9 e Lúcia 10 – disseram aos seus pais que a Virgem Maria lhes apareceu no topo de uma árvore enquanto estavam a cuidar das ovelhas” – foi assim que o jornalista começou por descrever esta cidade.

O complexo do Santuário de Fátima, a Basílica da Santíssima Trindade, a Capela das Aparições, o pilar mármore e a estátua de Maria foram todos eles referenciados como espaços relevantes para serem visitados.

  • Batalha

Sobre o Mosteiro da Batalha: “Arquitetonicamente e historicamente este é um edifício importante e impressionante”, definiu. O jornalista não perdeu oportunidade para afirmar que “há muito para ver aqui, incluindo o teto abobadado, o Claustro do Silêncio, a Sala dos Reis e os túmulos do Infante D. Henrique do rei João e sua esposa”.