7 Concertos imperdíveis para ver esta semana


Escrito por:
Pedro Dinis Ferreira
Pedro Dinis Ferreira
                       

Últimos posts de Pedro Dinis Ferreira (see all)

Mais uma semana que o nosso distrito não falha e volta a presentear-nos com vários concertos para vários gostos. Desde virtuosos guitarristas a uma noite cósmica dedicada ao punk, a celebrações do hip-hopR&B até a um gigante da música nacional. O nosso distrito tem muita música boa, vá vê-la!

 

  • Francisco Sales 21h30 – Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha // 7 de dezembro

Francisco Sales é um dos mais prestigiados emergentes guitarristas portugueses e lançou no início de 2017 o  segundo álbum Miles Away. Licenciado em jazz pela Escola Superior de Música de Lisboa, Francisco trabalha as sonoridades da guitarra, elétrica e acústica de forma abstrata criando paisagens sonoras que viajam pelo mundo, não fossem estas músicas inspiradas nas viagens que o guitarrista fez. O primeiro álbum de Francisco Sales, Valediction, foi apadrinhado por Jean-Paul Maunick líder dos Incognito, que chegou a convidá-lo para integrar a banda. Sobre este Miles Away, o guitarrista diz que os temas foram “inspirados pelas viagens” que fez a países, cidades, lugares que nunca tinha visitado. “E só quando voltas a casa percebes o inspirador que foi. A casa está igual – mas tu voltaste mais rico”, adiantou. Para os amantes de guitarra e dos seus variadíssimos alcances, este concerto é imperdível. Os bilhetes variam desde os 7,50 euros (geral) e os 5 euros (Estudante, Sénior, Professor, Enfermeiro).

 

  • Hip-Hop & R’N’B Saved My Life 23h30 – Stereogun // 7 de dezembro

Depois do sucesso da primeira edição, eis que retorna à Stereogun a celebração da contemporaneidade da cultura pop. Desde os clássicos do hip-hop aos mais modernos passando pelo TrapRap dando também uma perninha no R&B, abrangendo também temas mais alternativos, as propostas musicais são de colocar a pista a dançar. Nestas festas os DJ’s não são previamente anunciados, apenas são conhecidos no dia. A entrada custa 5 euros consumíveis. 

 

  • Paulo Gonzo 21h30 – Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha // 8 de dezembro

Paulo Gonzo dispensa apresentações, com mais de 40 anos de carreira e dotado de uma voz inconfundível, editou no passado ano Dizmeo 15.º álbum que entrou diretamente para o top nacional de vendas. O que muitos não sabem é que primeiro Paulo Gonzo é, na verdade, Alberto Ferreira Paulo. Segundo, antes de alcançar sucesso, a solo foi fundador e vocalista dos Go Graal Blues Band em 1975, grupo dedicado ao blues elétrico.  Para o concerto em Caldas da Rainha está programada a continuação da digressão do álbum Dizme mas com certeza não faltarão clássicos como Jardins Proíbidos, Sei-te de cor ou Falamos Depois. Os bilhetes têm preço fixo de 20 euros para toda a sala e os lugares na plateia já são escassos.

 

  • Linda Martini 23h30 – Texas Bar // 8 de dezembro

Depois de algum tempo sem dar concertos, a banda de André Henriques, Cláudia Guerreiro, Hélio Morais e Pedro Geraldes está de volta e com uma premissa muito especial.  Nesta digressão são os fãs a escolher as setlists dos concertos. Os Linda Martini também dispensam apresentações, com uma sonoridade que não deixa ninguém indiferente, assentando a lírica na boa língua de Camões e o instrumental com misturas de noise e post punk. O concerto no Texas Bar já está esgotado mas pode ter a sorte de conseguir entrar e presenciar uma bandas icónica portuguesa.

 

  • Baleia Baleia Baleia + Cave Story + Fugly 22h30 – Stereogun // 8 de dezembro

A Super Bock apresenta o circuito Super Nova na Stereogun, uma série de concertos pelo país a fim de dar a conhecer a nova vaga de bandas nacionais a dar cartas. A edição de Leiria recebe os Baleia Baleia Baleia, os Cave Story e os Fugly.

A dupla Baleia Baleia Baleia formada por Manuel Molarinho (baixo e voz) e Ricardo Cabral (bateria) têm-se afirmado a nível nacional como um dos nomes a ter em atenção. A formação de dois elementos não faz nem um pouco com que a sua música seja menos composta. Abrangendo estilos como o pop/rock e o punk, em ritmos dançáveis culminando com letras em portugês, a dupla infeta qualquer palco. 

Os Cave Story são também uma banda bastante recente tendo editado o seu segundo álbum Punk Academics, no ano passado. O estilo destes rapazes é auto explicativo, o punk mas munido de influências modernas. Este mesmo álbum tem sido constantemente reconhecido como um dos melhores do ano, tanto em Portugal como em Espanha, e a página Mindies chega mesmo considerá-lo como o melhor do ano. 

Os Fugly são provenientes do Porto e têm como influências King Gizzard and The Lizzard Wizard, Ty Segal, Fidlar e Thee Oh Sees. Contam com um EP editado, Millenial Shit em torno do qual passaram o ano passado e grande parte deste em digressão. Serão eles a encerrar esta noite dedicada ao punk e ao rock na Stereogun e pouco mais se pode pedir.

Os bilhetes para este evento cósmico custam 3 euros e incluem duas imperiais (ou finos) Super Bock.