Rodrigo Guedes de Carvalho vem a Leiria apresentar o seu novo livro


Escrito por:

O jornalista (e também escritor) vai estar dia 7 de junho na Livraria Arquivo para apresentar o seu último romance

 

Todos conhecem Rodrigo Guedes de Carvalho da televisão. O que muitos poderão não saber é que o pivot do telejornal da SIC, com mais de 30 anos de carreira, é também escritor nas horas vagas.

Pois bem, Rodrigo Guedes de Carvalho estará na próxima quinta-feira, 7 de junho às 19 horas na Livraria Arquivo e Bens Culturais para falar e promover o seu mais recente romance, intitulado “Jogos de Raiva”. Aproveite, pois a entrada é livre.

Sobre o livro,  a sinopse fala-nos de “Um homem levanta a voz acima da algazarra de conversas. E pede que ponham mais alto o som do televisor do restaurante. É então que todos reparam no que ele vê. Não percebem ou não acreditam. E na rua, no bairro, na cidade, no país, homens, mulheres e crianças vão-se calando. Está por todo o lado, a imagem horrível e hipnotizante. O homem que pediu silêncio leva as mãos à cara e pensa: como chegámos aqui?
A era da comunicação global trouxe inimagináveis maravilhas. Partilhas imediatas de ensinamentos, denúncias e solidariedades. Mas permitiu também que saísse das cavernas uma realidade abjecta. Insultos, ameaças, ironias maldosas. Nunca, como hoje, a semente do ódio foi tão espalhada.
É sobre este pano de fundo que se conta a história de uma família. Três gerações a olhar para um futuro embriagado num estado de guerra. Uma família que esconde, enquanto puder, um segredo.
Jogos de Raiva traça duros retratos sem filtro sobre medos e remorsos, sobre o racismo, a depressão, a sexualidade, o jornalismo, a adopção, a arte e a amizade. E o poder das histórias.
É sobre a urgência da confiança, da identidade e do amor.
É um livro sobre todos nós, à deriva num novo mundo.”

Aproveite um livro autografado do pivot da SIC

Este é o sexto livro de Rodrigo Guedes de Carvalho. Estreou-se na ficção com o romance Daqui a nada (1992) vencedor do Prémio Jovens Talentos da ONU. Seguiram-se-lhe A Casa Quieta (2005), Mulher em Branco (2006) e Canário (2007). Dez anos depois lançou O Pianista de Hotel (2017).