Crítica: Capitão Fausto fazem-nos as vontades todos os dias


Escrito por:

A banda lisboeta atuou numa Stereogun completamente lotada e assumiu que A invenção do dia claro é a confirmação ao grande trabalho que os Capitão Fausto nos tem apresentado ao longo do tempo.

Já tocava a primeira música quando entrámos num concerto lotadíssimo dos Capitão Fausto. Chegar ao balcão do bar foi o melhor que conseguimos em primeira instância, já estava Tomás Wallenstein a puxar pelos primeiros versos e acordes da guitarra. Acompanhado por Salvador, Francisco, Manuel e Domingos nos restantes instrumentos, os Capitão Fausto entregam aos fãs sons de rock psicadélico controlado e cativos que os fazem mexer, seja o corpo ou simplesmente o abanão de cabeça.

Com pouco tempo para palavras mas muito tempo para explorar canções, a banda lisboeta apostou num alinhamento com os maiores hits do primeiro trabalho de originais, várias músicas do álbum de 2016 Os Capitão Fausto Têm os Dias Contados e, claro, não fosse este um concerto de apresentação do novo disco, as novas músicas do reportório que sai nas lojas a meados de março.

No caso do público, músicas como Amanhã Tou Melhor, Semana em Semana ou Morro na Praia não estão esquecidas. A cada refrão sentia-se um coro ecoante na sala da Stereogun, dando ainda mais pujança à conexão dos instrumentos. Muitas daquelas caras ali presentes também já tinham estado na apresentação do álbum, em 2016, no Texas Bar. Aí também já estavam mais que estudados temas como Maneiras Más e Teresa, que também não ficaram esquecidas neste concerto na Stereogun.

Os Capitão Fausto aproveitaram também para lançar aos fãs algumas das músicas do novo disco. Os temas deste álbum entram num registo rock mais festivo, com influências brasileiras (o disco foi gravado em São Paulo). Os singles apresentados online foram os que receberam mais feedback: Sempre Bem e Faço as Vontades , bem como a auto-intitulada badalona Amor, A Nossa Vida, que levou o vocalista a deixar a guitarra e dar uso ao mini-piano presente no palco. A nova música dos alfacinhas foi dos momentos mais bonitos na noite. Foi notória as muitas mãos no ar, a segurar telemóveis para captar aqueles breves, mas intensos, minutos.

Com o agradecimento da praxe pela casa cheia, Domingos Coimbra (baixista) foi ainda mais longe e perguntou: “Querem ouvir mais uma?”. Logo interrompido por Tomás Wallenstein: “Essa pergunta é básica. A pergunta é: querem que saiamos e voltamos a entrar, ou podemos já tocar as últimas?”, questão que envolveu uma risada geral na plateia. Tempo ainda para ouvirmos Alvalade Chama Por Mim , Faço as Vontades e Batalha.

Foi um excelente concerto para uma plateia também ela excelentemente entrosada. É isto que os Capitão Fausto oferecem. Seja em disco ou ao vivo, a diversão e a boa música estão garantidas.

 

Fotos: Teresa Neto