Adega das Francesinhas: são tão especiais que há clientes a comê-las seis vezes numa semana


Escrito por:

Ele é francesinha típica, ele é francesinha de bacalhau, ele é francesinha vegetariana e até é francesinha com morcela de arroz, não estivéssemos em Leiria. E a mãe do proprietário também ajuda na cozinha quando há casa cheia

 

“Reza a lenda que uma bela moça parisiense após rumar ao norte de Portugal decidiu mudar-se para Leiria, para mudar a vida dos seus habitantes”. É assim que está contada, na ementa, a história da Adega das Francesinhas, o novo restaurante “in” de Leiria.

Abriu há pouco mais de dois meses, na Rua Gago Coutinho, logo ali numa das ruas mais movimentadas entre a Praça Rodrigues Lobo e a Rua Direita.

O prato especial da casa não é difícil adivinhar: francesinha, claro está. Existem sete francesinhas, umas mais extravagantes que outras: a Francesinha de Bacalhau (12,50€) é um dos pratos mais atípicos. É composta por bacalhau, berbigão, camarão e lulas. A outra mais incomum é a Francesinha da Casa (11,50€), com ingredientes de pluma de porco preto, cebola roxa caramelizada, chouriço e a tão famosa morcela de arroz leiriense.
A Francesinha Vegetariana (9,50€) e a Francesinha Tradicional (9,50€) são duas escolhas mais conservadoras mas não menos saborosas.

Dá para resistir?

Filipe Sousa, proprietário da Adega das Francesinhas, falou à TIL e explicou que escolheu diferentes sabores das francesinhas para “apostar na diferenciação”, o que “obrigou a uma escolha personalizada de cada um dos molhos”. A cerveja artesanal utilizada para acompanhar é a Xarlie, que também é usada como ingrediente no próprio molho da francesinha.

Para os menos apreciadores de francesinhas, a Adega também tem na sua carta hambúrgueres e risottos.

Quanto às entradas podemos recomendar o famosos Ferrero de Alheira (5,50€), uma espécie de Ferrero Rocher que é revestido da mesma forma, mas por dentro tem um saboroso creme de alheira. Nas sobremesas tem disponível uma Francesinha de Chocolate (4,50€) mas isto não é o que está a pensar! Apenas o formato é o mesmo.

Ferrero Rocher versão Alheira. E é tão bom quanto parece!

O espaço não é enorme mas é muito bem aproveitado no seu todo, onde nunca vai sentir-se apertado. Tem 20 lugares sentados, por isso se quiser fazer um jantar em grupo, o melhor mesmo é reservar mesas o quanto antes.
Caso decida aparecer à noite (coisa que recomendamos vivamente) a sua experiência gastronómica será acompanhada pelas 27 pipas de vinho coladas no tecto  (em homenagem à zona do Porto, onde iniciou esta aventura) a luzir com leds, e a alterarem as suas cores de poucos em poucos segundos. Isto num ambiente descontraído, com música jazzy a acompanhar.

Filipe Sousa abriu um restaurante de francesinhas porque sentiu essencialmente que este era um conceito que faltava à cidade de Leiria. Também, a sua experiência na arte da confeção desta iguaria nos muitos anos a trabalhar em restaurantes do Porto fez ganha-lo motivação para abrir um espaço só seu e com as suas ideias de cozinha.

Viajou para o Porto há dois anos e começou a trabalhar num restaurante que, por coincidência, não servia francesinhas. Ficou intrigado com este assunto e procurou saber mais sobre a confeção da mesma. Esteve em vários restaurantes a experimentar e a procurar a melhor conjugação de sabores.
No meio deste processo, ainda teve tempo para pesquisar sobre o fundador das francesinhas, que na altura pegou no croque monsieur (uma espécie de tosta mista francesa com molho de bebidas alcoólicas).

No fim desta aventura e de executar diversas francesinhas, descobriu então o principal segredo: a junção de tudo. “Além do bom molho que se costuma falar, também é necessário bons ingredientes (frescos) e a dose certa de tudo”, elucida Filipe Sousa à TIL. “O molho da francesinha não é muito picante exatamente para que se sintam todos os sabores dos ingredientes”, finaliza.

Aberto há apenas dois meses, o balanço é muito positivo: “As pessoas têm aderido bastante a este conceito e gostam muito da qualidade dos ingredientes. Até já tive um cliente a vir à Adega seis vezes numa única semana. É incrível!”.

Fun fact: Os pais moram no prédio em frente ao restaurante. E a sua mãe Maria muitas vezes vai ajudar o filho a confeccionar as francesinhas, quando há casa cheia.

 

– Horários:

  • Aberto todos os dias das 12h – 15h e das 19h – 23h
  • Domingo das 19h – 22h