6 cascatas incríveis no distrito de Leiria para descobrir nestas férias


Numa altura em que o conceito Vá Para Fora Cá Dentro é mais importante do que nunca, a TIL abraça a missão de o ajudar a encontrar os melhores destinos para este verão. Não é preciso ir longe para descobrir vistas de sonho, bem como recantos intocados. Trilhos Selvagens, cascatas, lagoas, praias fluviais ou aldeias típicas são algumas das paisagens que podemos encontrar na região.

Apresentamos-lhe algumas sugestões de cascatas icónicas que prometem ser um excelente destino para passear nos dias de férias que se avizinham.

  • Fragas São Simão, Figueiró dos Vinhos:

A praia fluvial fica entre duas imponentes fragas e é alimentada pela água límpida da ribeira de Alge, que passa a caminho do Zêzere. A abundância de árvores e a imensidão das serras circundantes que conduzem à serra da Lousã, conferem ao cenário uma atmosfera excelente.

Este ano os visitantes terão à sua espera uma grande novidade! Com inauguração prevista para 3 de julho, a envolvência das cascatas contará com um complexo de passadiços que permitirão efetuar a ligação entre a aldeia de xisto de Casal de São Simão e a estância balnear, contabilizando um quilómetro de percurso. A infraestrutura promove uma maior acessibilidade, conservando as características paisagísticas. Ao longo dopassadiço existem vários pontos de observação que permitem contemplar as cascatas de uma nova perspetiva.

  • Moinho do Papel, Leiria:

 

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Uma publicação partilhada por (@anacpgaspar) a

Não é possível falar em cascatas sem mencionar a emblemática cascata do Rio Lis, junto ao moinho de papel, depois da Ponte dos Caniços. Situada bem no coração da cidade de Leira é o local ideal para fazer uma paragem e repor energias durante a realização do percurso pedonal do POLIS.

  • Fórnea, Porto de Mós:

 

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Uma publicação partilhada por Visit Portugal (@visitportugal) a

Originada por um raro fenómeno geológico que dá a ilusão de estarmos perante um anfiteatro natural, a Fórnea assemelha-se a um enorme abatimento da crosta terrestre, desde Chão das Pias até Alcaria. Esta zona da Serra de Aire e Candeeiros é caracterizada pelos solos ocos atravessados por cursos de água que originam grutas, cascatas e outros fenómenos geológicos. Aqui é possível encontrar um vale de oliveiras rodeado por duas cascatas e duas nascentes. A Fórnea proporciona um enquadramento paisagístico deslumbrante!

  • Cascata da Barroquinha, Maceira:
Foto: Blog Só Penso Nisso

Neste parque de merendas encontra-se uma cascata com cerca de 16 metros de altura que termina num pequeno lago. Aqui poderá também aproveitar para visitar a Ermida da Nossa Senhora da Barroquinha, onde se encontra uma imagem da Nossa Senhora de Fátima com os 3 pastorinhos.  Este é o sítio certo se deseja um local tranquilo para um piquenique ou, simplesmente, apreciar os sons da água corrente.

  • Mata da Curvachia:
Foto: Montes e Trilhos

A Mata da Curvachia, que representa um património natural único e quase desconhecido, é um exemplo daquilo que foi a floresta portuguesa no início do século passado. Situada entre as freguesias de Pousos e Arrabal, nesta zona florestal encontra-se uma cascata criada artificialmente. A visita à cascata deve ser complementada pela passagem no carvalho secular, de elevado valor botânico, existente no local.

  • Trilho da Amazónia, Maceira:  

Perto da vila da Maceira, há um vale que é localmente conhecido como Amazónia, devido à sucessão de pequenos bosques ao longo de um ribeiro. Passeando ao longo do trilho junto ao ribeiro, embrenhados na vegetação luxuriante, é possível contemplar várias quedas de água de diferentes dimensões.

O som agitado da água e os raios de luz que conseguem atravessar as árvores que cobrem o leito do ribeiro fazem o tempo correr mais devagar. Este trilho é uma aposta ganha para uma tarde bem passada em comunhão com a Natureza.

 

Nesta época de Verão há sempre a possibilidade de algumas cascatas terem menor abundância de água. No entanto, todas as cascatas recomendadas inserem-se numa paisagem envolvente que só por si faz valer a pena a visita. Parta à descoberta!

 

Texto e Fotos: Rita Silva