You Can’t Win, Charlie Brown no Texas Bar com o novo disco


Os You Can’t Win, Charlie Brown estão a promover o terceiro disco de originais, Marrow, e têm encontro marcado dia 27 de outubro no Texas Bar.

Fundados em 2009 por Afonso Cabral, Salvador Menezes e Luís Costa, os You Can’t Win, Charlie Brown rapidamente adicionaram David Santos (Noiserv), Tomás Franco de Sousa e João Gil (Diabo na Cruz e Vitorino Voador) para engrandecer o que já era grande. Depois de um EP homónimo onde se destacaram no panorama nacional, os álbuns Chromatic e Difraction/Refraction cimentaram o seu estatuto de senhores do Indie Rock nacional e agora com Marrow os YCWCB, passam por uma mudança de sonoridade.

Neste terceiro álbum a banda dá primazia a crescendos, guitarras elétricas e sintetizadores para nos presentear um trabalho sem igual. Trocando a sonoridade acústica dos primeiros registos, os YCWCB voltam a mostrar que têm um pedigree ao nível dos melhores do mundo, tanto na criação sonora, como na mistura de conceitos musicais que apenas conhecedores afincados de música no geral são capazes de realizar. Marrow é a prova disso mesmo, albergando uma sensibilidade pop de variados ambientes com os crescendos, os sintetizadores, a veia eletrónica e as guitarras a ganharem maior destaque.

Um oportunidade única de presenciar o mais recente trabalho dos YCWCB no Texas Bar. Os bilhetes estão disponíveis no Atlas Hostel, em Leiria, na Taverna Xico e Xica, na Marinha Grande, e no próprio dia. Os 150 bilhetes disponíveis em pré-venda custam 10 e 12 euros no próprio dia. E cá para nós é melhor apressar-se porque a possibilidade de esgotarem é bastante real!

 

Floresta Viva – Um dia em cheio na Natureza


Este sábado (13 de outubro) a Lagoa da Ervedeira vai ser palco de uma homenagem e agradecimento à natureza. Durante todo o dia  as atividades lúdico-pedagógicas em torno da consciencialização e preservação serão o foco principal.

A paisagem que poderá experienciar ao participar

O evento, organizado numa parceria entra a Câmara Municipal de Leiria, a comissão do Festival A Porta com o apoio da Junta de Freguesia do Coimbrão e o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), pretende educar, consciencializar e mudar atitudes através do contacto direto com a natureza. Primeiramente focado nos petizes, os adultos são também muito bem-vindos a participar. Jogos pedagógicos que propiciam um contacto direto com a natureza, mostrando os impactos concretos da acção humana de maneira a formar os adultos do futuro são as premissas principais.

A premissa principal da Floresta Viva

As atividades começam às 10h, estando a última marcada para as 17h30. O dia é repleto de atividades: desde a observação de insetos residentes na Lagoa da Ervedeira, jogos tradicionais, construções utilizando recursos naturais ou reutilizados, Workshops de Cianotipia, oficina prática de espécies autóctones, descoberta e prevenção de plantas invasoras na Lagoa, criação de postais com plantas e até a construção de um hotel de insetos. A Cianotipia é a “impressão fotográfica através da emulsão foto sensível (sais de ferro) que quando misturados com os raios ultravioleta, permite obter imagens mediante a sobreposição de um negativo em contacto com uma superfície tratada e exposta ao sol. Utilizando plantas, flores, galhos e areia.” Quer isto dizer que será possível criar a sua fotografia sem qualquer impacto ambiental! Estas atividades carecem de inscrição prévia.  Existirá também um autocarro disponível a levar os participantes para a Lagoa que parte às 9h e regressa às 18h. Para assegurar o seu lugar terá de se inscrever e as inscrições são limitadas aos lugares disponíveis.

A Porta e a Câmara de Leiria juntam esforços para dar mais um grande passo em direção da consciencialização e da preservação do meio que nos rodeia. Pretende-se celebrar a comunhão entre as comunidades locais e a natureza envolvente ao mesmo tempo que se criam alicerces para a vivência com um impacto ambiental reduzido. Um dia na natureza, para a natureza e para a formação de adultos mais conscientes de forma a que os tristes acontecimentos do passado não se repitam.

La Palma Hostel: o novo hostel em Leiria com toque marroquino


O La Palma é como uma extensão do Atlas, tirando a folia dos concertos. O novo hostel tem piscina, ampla cozinha e espaço comum e uma decoração inspirada em Marrocos.

Corredor ornamentado com tapetes Marroquinos 

Situado atrás da Biblioteca Municipal de Leiria, o La Palma é um espaço exclusivamente de quartos, ou seja, aqui não haverá concertos semanais nem a folia habitual do Atlas Hostel. Haverá, sim, um espaço sempre tranquilo, bem organizado e muito arejado.

A imponente entrada

Luís Marques, proprietário deste novo espaço e do Atlas Hostel, afirma que o o La Palma surge por necessidade. Muitas pessoas queixavam-se das festas no Atlas, que não podiam dormir descansadas por causa do barulho. Assim, “quem fica no La Palma pode usufruir das mesmas coisas como se estivesse no Atlas, mas sem preocupações na hora de dormir.”

O La Palma tem uma identidade muito própria. Mantém a linha decorativa do Atlas mas expande-a incluindo elementos culturais Marroquinos. Aliado a isso, há um terraço espaçoso e uma piscina ao ar livre que abrilhantam qualquer tarde. Para marcações o método continua o mesmo, através do site oficial, ou através de qualquer plataforma da área.

Piscina ao ar livre e o castelo ali atrás. Fotografias de Teresa Neto

12 concertos a marcar presença


Esta semana, mais uma vez, o distrito de Leiria recebe concertos de vários espectros. Eletrónica, pop-rock, jazz e até lo-fi.

 

  • L Mantra 22h30 – Atlas Hostel // 10 de outubro

Madalena Palmeirim e João Teotónio são os L Mantra, uma dupla que depressa saltou da sala de estar para o estúdio de gravação, onde produziram o disco de estreia. Imersos na sonoridade lo-fi, mas também com tragos de minimalismo, os L Mantra abraçam quem os ouve numa sensação íntima, calorosa e intemporal. O Atlas traz-nos, novamente, sonoridades fora da caixa e, como sempre, de entrada livre!

 

  • Nuno Barroso 21h30 – Teatro José Lúcio da Silva // 11 de outubro

O cantautor, poeta, músico e compositor Nuno Barroso tem encontro marcado em Leiria para apresentação do álbum Amigos e Duetos. Desde cedo que Nuno Barroso mostrou aptidão para a música, tendo contactado diretamente com o meio, através do pai Pedro Barroso, também músico, e tendo formado a própria banda, os AlémMar. Foi uma banda que gozou de enorme sucesso nos anos 90, com singles como Deixa-me Olhar ou Já não há mais baladas. Neste novo álbum, Nuno conta com a participação de consagrados músicos, entre os quais José Cid, Pedro Barroso, Rafa Bocero, Yola Dinis, Noa, Nuno Guerreiro, Stigi van, Adelaide Ferreira, Nuno Norte, Paulo Gato e Anabela. Um álbum versátil, que mostra o alcance do artista que se desdobra em estilos como o fado  ou o pop-rock. Um concerto que contará com pelo menos nove músicos convidados e que é organizado em conjunto com a Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral de Leiria. Parte das verbas da bilheteira revertem para ajudar a associação. Não fique a olhar e segure o seu bilhete.

 

  • Plastic People 23h – Clinic (Alcobaça) // 12 de outubro

Os Plastic People são João Gonçalo (voz), André Frutuoso (guitarra) e JT (teclados, voz), Johnny Walker (baixo), Nuno Ruas (bateria) e Cristovão Carvalho (guitarra) amigos de longa data e de Alcobaça. Uma banda que explora sonoridades de The Velvet Underground, Joy Division, David Bowie ou Iggy Pop. A música oscila entre o amor e o ódio e entre a luxúria e a decadência e aborda temas como a dificuldade em sentir a vida de forma romântica, mas num estilo punk. O álbum Visions, produzido ao longo de cinco meses, é a estreia editada dos Plastic People e contém 10 temas originais. Infelizmente, os bilhetes para este concerto já estão esgotados mas quem sabe se não tem sorte e consegue estar presente para a estreia do álbum.

 

  • Iguana Garcia + Gypos + Roberto Caetano – Stereogun // 12 de outubro

João Garcia é IGUANA GARCIA. Depois de pertencer à banda The Kafkas, onde era guitarrista e vocalista. IGUANA GARCIA vem à Stereogun apresentar o álbum de estreia Cabaret Aleatório. Para a estreia de João Garcia podemos esperar uma mescla de eletrónica, rock psicadélico e pop dos anos 80. Com ingredientes assim fica difícil recusar a presença neste concerto.

 

Os Gypos são Gil (guitarra e voz), Azul (guitarra), Tony, (baixo) e Fernas (bateria) e vêm de Lisboa para mostrar o seu EP Love to Hate, Hate to Love. Caracterizados pela junção entre o rock, o punk e até o blues, os Gypos vêm de Lisboa, Coimbra e Leicester e têm encontro marcado na Stereogun para abanar os esqueletos do público ao som de temas como 3 Sundays in a Week e muitos outros. Uma estreia a não perder!

 

Roberto Caetano – Vocalista dos First Breath After Coma

Roberto Caetano, vocalista e guitarrista dos First Breath After Coma, tem o palco da Stereogun para pôr toda a gente a dançar, munido de temas clássicos, discretos e exuberantes. Uma noite com um cardápio assim tem tudo para ser uma noite épica!

Acesso aos concertos: 5€ (que revertem 100% a favor das bandas*) + Consumo obrigatório de uma bebida.
Acesso depois dos concertos: 5€ consumíveis
* IGUANA GARCIA e GYPOS

 

  • Bjazz 16h30  – Coto, Rua da Escola ARECO // 13 de outubro

Inserido no evento Caldas Nice Jazz, o concerto dos Bjazz é um dos que abre as hostilidades e solta o jazz nas Caldas da Rainha. Os Bjazz são um grupo de amigos músicos da região de Óbidos, que juntaram a sua experiência musical para dar boa música e muita diversão. Sendo relativamente jovens, os Bjazz primam pela irreverência dando aos standards tradicionais do jazz uma nova roupagem e dando largas à criatividade e improvisação. Ao vivo, gostam da proximidade com o público fazendo-lhe chegar o seu estilo hapiness jazz, o Dixieland dos anos 20 passando pelos blues e até o funky.  A entrada é gratuita.

 

  • Nuno Lisboa + RUOD-Rik e Ricardo 23h30 – Clube Musique // 13 de outubro

Nuno Lisboa é oriundo do Porto e desde cedo convergiu para a música eletrónica. Nos dias que correm é já considerado um artista em ascensão, com uma identidade definida e reconhecível. Artista integrante da editora Refused, Nuno tem crescido constantemente e prova disso é o apoio de artista de renome como Richie Hawthin. As atuações do músico distinguem-se pelo ambiente intenso, sons que não parecem naturais e sonoridades que despertam os sentidos.

Rodrigo e Ricardo Narciso são já caras conhecidas da música eletrónica sendo responsáveis por organizar as noites da Exit. Têm espaço reservado na cabine do DJ para protagonizarem mais uma grande noite da Exit!

 

  • The Slum Vagabunds 00h – Inapark // 13 de outubro

Os Vagabundos da Favela são Syper e Vanhellque se juntaram em 2011, altura em que também passaram a integrar o coletivo Fuse Records. Partilhando os gostos ecléticos e uma liberdade criativa que lhes permitiu, ao longo de 6 anos, viajar pelo espólio gigantesco da música eletrónica. The Slum Vagabonds surgem como representação da memória e da consciência para o desequilíbrio que existe neste mundo moderno.

Condições de Acesso:
PRÉ-VENDA PULSEIRA
5€ (c/ oferta de bebida)*
NA PORTA
7€ (c/ oferta de bebida)*
* Oferta de bebida às primeiras 50 entradas até às 02h

 

  • Ghost Hunt + Paisel 22h – Museu do Vinho (Alcobaça) // 13 de outubro

Este concerto é parte integrante do festival Literário e de Cinema de Alcobaça. Pedro Chau e Pedro Oliveira são Ghost Hunt, uma mistura de sonoridades hipnóticas e repetitivas, caixas de ritmos, sequenciadores, sintetizadores e guitarras cortantes. A música instrumental que criam traz referências ao rock eletrónico alemão dos anos 70, ao postpunk dos anos 80, à música de dança dos anos 90 e até à revitalização do eletrorock dos anos 2000. Percebemos assim que os Ghost Hunt são também uma aula de história da música. Vale muito a pena ir e tirar notas!

Paisiel é o duo formado por Julius Gabriel e João Pais Filipe que deambula pela música experimental, o jazz e o rock. A dupla explora as possibilidades expressivas dos seus instrumentos fazendo a analogia possível. É o espaço entre a receção e a emissão de uma chamada telefónica do cosmos. De realçar que a entrada é livre!

 

Fotografias: DR

Barbearia Coffee: A nova barbearia do Leiria Shopping


A Barbearia Coffee, no Leiria Shopping aposta, num formato diferente. Abriu há dois meses e tem mudado visuais de miúdos e graúdos.

Fotografias de Teresa Neto

Com um visual arrojado, a Coffee é uma barbearia/cabeleireiro no Leiria Shopping que tem sido muito bem recebida. Rúben Lamy é o proprietário e esteve à conversa com a TIL. Natural do Algarve, Rúben explica que esta barbearia é a primeira do género e que foi idealizada para funcionar exclusivamente em centros comerciais. 

Staff da Barbearia vestido a rigor

A Barbearia Coffee faz parte de uma cadeia de cafetarias do proprietário, já estabelecidas no Algarve, e nesta barbearia o atendimento não é exclusivo para homens: as senhoras também têm aqui o seu espaço.  O serviço conta com o normal deste tipo de estabelecimento – corte de cabelo (15 euros), corte de barba (12 euros) ou ambos (22 euros). Para a pequenada está previsto o corte Infantil (12 euros) e as senhoras podem também cortar e alisar (50 euros) ou só alisar (40 euros).

O principal motivo para o conceito diferente é que “num centro comercial passam milhares de pessoas, na rua não”, adianta o proprietário. “Na rua as pessoas vão de propósito ao sítio. Até conseguir clientes, para montar uma estrutura na rua, demora meses ou anos.” 

Cabelo e Barba por 22 euros

Futuramente, Rúben afirma que o objetivo é manter-se primariamente em centros comerciais. Está prevista a inauguração de outra barbearia em Guimarães e, depois disso, pretende estender o negócio em franchise. De qualquer das formas, quando estiver pelo Leiria Shopping e achar que precisa de mudar de visual, pode contar com o profissionalismo e boa disposição da Barbearia Coffee.

Leiria recebe uma Super Nova de proporções épicas


“Descobrir uma supernova é uma raridade e o seu brilho é superior a 100 biliões de estrelas da galáxia.”

Em 2017, a Super Bock uniu-se ao Maus Hábitos e, por mês, produziram uma noite dedicada à nova música portuguesa com 3 bandas por sessão, um cabeça de cartaz e duas bandas emergentes. Depois de 6 sessões e 18 bandas, a Super Nova pretende aumentar o espaço de intervenção a todo o território nacional.

Este ano, o conceito mantém-se mas ampliado a mais casas de espetáculos pelo País inteiro. Isto dá às bandas todas as condições para uma tour pelo País, proporcionando aos espaços programação de qualidade, além de servir de mostra dos novos talentos e interação das bandas entre si e das bandas com as casas de espetáculos.

Para Leiria está programada uma noite sem precedentes. Dia 8 de dezembro, com os Baleia Baleia Baleia, Fugly e Cave Story. 

Baleia Baleia Baleia

Os Baleia Baleia Baleia são uma dupla formada por Manuel Molarinho (baixo e voz) e Ricardo Cabral (bateria) que envereda pelos caminhos do pop rock, passando pelo punk tudo misturado em ritmos dançáveis, com cobertura da escrita em português, que infetam todos os que ouvem.

Fugly

Criados por Pedro Jimmy Feio, os Fugly contam já com um EP editado, Morning After, e este ano lançaram o álbum Millenial Shit. A banda do Porto assenta no espectro do garage rock com influências punk e rock e já confessaram ser bastante influenciados por outros nomes da cena, como King Gizzard and The Lizzard Wizard, Ty Segal, Fidlar e Thee Oh Sees, mas também pelos grandes que vieram antes, Radiohead, Beatles ou Clash.

Cave Story

Natural das Caldas da Rainha, a banda Cave Story demarca-se pelo seu punk também misturado com garage rock, cheiros de lo-fi e passando pelo indie-rock. Depois de provarem o sucesso com o primeiro EP West, os Cave Story voltam a editar, desta vez o álbum tem o título Punk Academics. Neste novo disco os Cave Story vincam a sua direção assumidamente punk mas com pinceladas de hardcore. 

Estão reunidos os ingredientes ideais para uma noite de punk, rock, suor, guitarras berrantes e muito mais. Dia 8 de dezembro, na Stereogun.

7 Concertos que não pode perder esta semana


Esta semana viajamos pela música tradicional, recebemos convidados gregos, passamos pela música clássica e ainda há espaço para David Fonseca nos mostrar o último álbum. Este distrito é incrível!

 

  • Roncos do Diabo 21h30 – Castelo de Óbidos // 3 de outubro

Os Roncos do Diabo apresentam-se no FOLIO (Festival Literário Internacional de Óbidos). Uma banda portuguesa com mais de uma década de existência a propagar a musicalidade tradicional, composto por quatro gaitas de fole e um percussionista. O grupo carrega em todas as atuações uma energia inigualável que se vai notar mais uma vez em Óbidos. Não perca a oportunidade de ver, ouvir e sentir os Roncos do Diabo num concerto de entrada livre.

 

  • David Fonseca 21h30 – Teatro José Lúcio da Silva // 4 de outubro

O filho pródigo regressa a casa para apresentar aos seus o último álbum, Radio Gemini. O que dizer sobre este concerto? O multi-facetado artista leiriense tem encontro marcado no nosso teatro maior para formalmente mostrar Radio Gemini na íntegra. As suas apresentações nunca ficam aquém da expectativa visual e musical. É David Fonseca e traz músicas novas, não é necessário saber muito mais pois não? Os bilhetes custam 16,50 euros, ou 14,50 euros com desconto e é melhor apressar-se porque já não restam muitos.

 

  • CHICKN + CASOTA Colective 23h30 – Stereogun // 4 de outubro

CHICKN é uma banda vinda de Atenas, Grécia, formada em 2012 depois de uma noite de folia. Aquilo que parecia algo passageiro ganhou forma e consistência e, passados seis anos, eis que os CHICKN fazem a sua aparição em Portugal. “Explosivas batidas a galope, poderosos riffs de guitarra, linhas de baixo sensuais e sopros ancestrais, são mote para uma das mais incríveis bandas gregas! Rock colorido com explosões proto-punk, são a receita para um delicioso concerto a não perder!”

Para final de noite está reservado o DJ set dos CASOTA Colective, a produtora audiovisual de Leiria que tira um tempo de folga das câmaras para colocar a pista da Stereogun ao rubro. A entrada para esta noite sem igual tem um custo de 5 euros.

 

  • Da Cruz One man band + Teatro Dom Roberto 15h30 – Teatro Miguel Franco // 6 de outubro

“Da Cruz” é o pseudónimo de David Cruz, actor, músico, profissional das Artes do Espectáculo desde 1991, membro fundador e actual director da Encerrado para Obras. O Único Homem-Orquestra tradicional no nosso País, este artista multifacetado apresenta um espectáculo surpreendente em que toca em simultâneo e em andamento um total de 17 instrumentos. O projecto Da Cruz One Man Band já foi apresentado com enorme sucesso em mais de três dezenas de localidades de Norte a Sul do País.”

Para a segunda parte do serão está programado o teatro Marionetas da Feira Teatro Dom Roberto. “No Castelo de Santa Maria da Feira vivia a bela princesa Rosa, vigiada por um terrível dragão e prisioneira de um homem gigante que a tinha fechado a sete chaves numa das torres. O nosso herói Dom Roberto que por ali passava ouviu os seus gritos de socorro e foi logo em seu auxílio. O pior ainda estava por acontecer… será que o valente Roberto conseguirá desenvencilhar-se do gigante, do dragão e de outras terríveis ameaças? Salvará a Rosa e ficará ele dono do Castelo? Original da tradição popular portuguesa.”

Este é um programa de sábado inserido no Festival ACASO que não vai querer perder. Os bilhetes têm um custo de 5 euros, ou 3 euros com desconto.

 

  • Orquestra Sinfónica Portuguesa 17h – Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha // 6 de outubro

A Orquestra Sinfónica Portuguesa passa pelas Caldas da Rainha para apresentar o concerto para piano n.º 2 em Si bemol maior, op. 83 e o concerto para piano n.º1 em Ré menor,  op. 15, duas peças de Johannes Brahms.

“Cerca de vinte anos separam os dois concertos para piano deste programa escritos por Johannes Brahms (1833–1897). O Concerto para piano n.º 1 em Ré menor, op. 15 foi composto aos 25 anos, em 1858, e estreado em Hanôver no ano seguinte. Foi a sua primeira obra orquestral a ser interpretada com a aprovação do público e reflete os esforços de Brahms em aliar o piano com a orquestra enquanto parceiros iguais numa estrutura sinfónica. O Concerto para piano n.º 2 em Si bemol maior, op. 83 começou a ser escrito em 1878 e foi completado no ano seguinte, tendo sido estreado em Budapeste em novembro de 1881 com o próprio compositor como solista. Dado o enorme sucesso, Brahms interpretou-o em muitos países da Europa. Os quatro andamentos da obra contêm alguma da mais tremendamente difícil música jamais escrita para piano.”

Está preparado um concerto de alta qualidade e para os amantes da música clássica não deixarem passar ao lado. Os bilhetes custam entre 10 e 15 euros.

 

  • The Happy Mess 23h30 – Stereogun // 6 de outubro

Está de volta a música sedutora dos THE HAPPY MESS que regressam a Leiria com novo disco: Dear Future, terceiro de longa duração da banda, é um álbum que mergulha numa pop elegante e perversa. Um regresso às canções que cruzam as guitarras e a electrónica dos anos 80. O grupo do conhecido jornalista Miguel Ribeiro (voz, guitarras), João Pascoal (baixo & synths) Joana Espadinha (voz – ela que a solo se tem mostrado como uma das grandes revelações da actual cena musical portuguesa), Hugo Azevedo (bateria), Afonso Carvalho (pianos & synths) e Martim Broa (guitarras), sobe ao palco da Stereogun para desfilar o seu rico e contagiante repertório, em que não faltará, claro, Waltz For Lovers, o single com a participação de Rita Redshoes que já conquistou as rádios nacionais.” O concerto tem um custo de 6 euros (que revertem 100% a favor da banda) + consumo obrigatório de uma bebida.

 

Fotografias: DR

3 concertos a que não pode faltar esta semana


Esta semana há concertos para todos os gostos, desde um velho do restelo, à solidariedade em música e à música abstrata.

 

  • Tav Falco’s Panther Burns 22h – Texas Bar // 24 de setembro

Gustavo Antonio “Tav” Falco é um nome histórico do mundo rock n’ roll psicadélico. Descendente de emigrantes italianos nos Estados Unidos, Tav Falco é músico, artista performativo, ator, cineasta e fotógrafo e desde 1979 é o líder do grupo Tav Falco’s Panther Burns. Este será o único concerto em Portugal do artista em 2018 e é imperdível. A entrada tem um custo de 10 euros. Quem apresentar o bilhete do concerto dos The Fresh and Onlys paga 6 euros de entrada.

 

  • Faroeste Vicente/Trilla Duo + EITR 22h30 – SILOS Contentor Criativo // 27 de setembro

Este evento é, na verdade, um Encontro de Música de Câmara Contemporânea e Improvisada  que tem lugar nas Caldas da Rainha no contentor criativo SILOS. Quinta vai poder contar com atuações de Vicente/Trilla duo e de EITR. Luís Vicente é trompetista já com vários anos de estrada e Vasco Trilla é baterista que conta também com muito bom calo. Juntos formam uma dupla que se foca na exploração incisiva dos sons que os seus instrumentos podem produzir. EITR é também uma dupla, Pedro Sousa (saxofone e eletrónicos) e Pedro Lopes (mesa de mistura e eletrónicos) estão na mesma linha que o duo anterior. A sua orientação é também focada na exploração total das sonoridades dos seus instrumentos. Está preparada uma noite muito abstrata e que não pode perder.

 

  • Filarmónica de Chãs & Grupo Coral AdesbaChorous com Sónia Santos 21h30 – Teatro José Lúcio da Silva // 29 de setembro

A Filarmónica de Chãs e o Grupo Coral AdesbaChorus, com a participação especial da solista Sónia Santos, irão realizar um concerto solidário para a ATLAS. O objetivo deste concerto será a angariação de fundos para os projetos da nossa Associação. Cada bilhete tem um custo de 7,5 euros.

 

Foto: DR

23º festival Acaso. Teatro, música, poesia, performance e exposições


O festival de artes Acaso regressa para a sua 23ª edição. Durante um mês poderá desfrutar de teatro, música, performances e muito mais nos mais variados sítios.

 

Desde 2002 o grupo de teatro O Nariz organiza o Festival Acaso, o festival de teatro profissional mais antigo e de maior duração da Região Centro Litoral. Centralizado em Leiria, o Acaso expandiu o seu raio de ação à Batalha à Marinha Grande e o objetivo é continuar a alastrar e a levar as artes performativas a um público cada vez maior.

A edição deste ano iniciou dia 20 de setembro no Teatro Miguel Franco com a Odisseia Sonora de José Raposo, Miguel Sobral Curado, Phillipe Trovão e Teresa Sobral. A peça performativa é uma mistura de teatro e concerto de percussão e eletrónica. Pode-se dizer que esta peça é a génese do Acaso, a mistura de diferentes formas de arte. Ainda em setembro vai ser possível ver a peça Patos, com António Cova e David Ramy e encenação de Pedro Oliveira, a peça C!nderella, a partir do conto de Charles Perrault, com Ângela Pinto, Sylvie Dias e Hélder Gamboa, que também é encenador e muitas mais.

C!nderella – adaptação do conto de Charles Perrault

Para outubro estão preparados vários serões de deixar água na boca. Dia 7 (domingo), Pedro Oliveira, Ana Moderno, Liliana Gonçalves entre outros vão estar nas Salinas de Rio Maior para uma sessão de Contos ao Pôr-do-Sol e quarta-feira dia 10, a curta-metragem Fugiu. Deitou-se. Caí. de Bruno Carnide vai ser exibida no Espaço O Nariz. Estas são algumas das peças de arte que vai poder ver de perto.

Até dia 31 de outubro o nosso distrito vai estar submerso nas artes performativas com um cartaz escolhido a dedo para trazer o melhor do que se faz neste mundo, por isso não vão faltar oportunidades para ver algo fora do normal. Não perca a oportunidade, apareça!

Bilhetes

 

3 concertos a não perder esta semana


Esta semana, como já tem vindo a ser hábito, Leiria recebe artistas de alta qualidade e para vários públicos. Há artistas internacionais e até um regresso de peso!

  • Salvador Sobral 21h30 – Teatro José Lúcio da Silva // 20 de setembro

O vencedor da Eurovisão em 2017 passa por Leiria a propósito da digressão do álbum de originais Excuse Me, editado em 2016. Depois de chegar ao topo da Europa com Amar pelos Dois, Salvador tem vindo a mostrar que existe muito mais profundidade naquilo que faz do que ser apenas vencedor da Eurovisão. Acompanhado de Júlio Resende ao piano, André Rosinha no contrabaixo e Bruno Pedroso na bateria, a atuação conta com muitos momentos de improvisação característica do jazz, o estilo predominante.  Os bilhetes para o concerto custam 17,50 euros e, ao momento, restavam poucos lugares apenas no 2.º balcão.

 

  • Mixtec 21h30 – Stereogun // 21 de setembro

Brüno Mixtec é um DJ produtor português, mais conhecido pelo seu trabalho com a banda de música electrónica Ninja Kore. O caminho como artista começou cedo. Com apenas 14 anos, já dava os primeiros passos na club scene de Londres e, desde aí, procurou sempre criar novas tendências, primeiro na Europa e, mais tarde, pelo Mundo. Como artista a solo e como mentor do grupo Ninja Kore, Brüno já actuou um pouco por todo o mundo, em alguns dos festivais mais icónicos da actualidade e em locais marcantes como Tóquio, Los Angeles, entre outros. Enquanto músico, é na vanguarda das ocorrências que se destaca e quando o vemos em palco já sabemos que é garantido algo único e frenético. O concerto tem um custo de 6 euros (inclui uma imperial, sumo ou água)

 

 

  • Les Crazy Coconuts 23h00 – Stereogun // 22 de setembro

A banda dos côcos está de volta! Depois de um ano de paragem, os Les Crazy Coconuts voltam aos concertos e começam já pelo Stereogun. Depois de se dedicarem a projetos a solo, a banda leiriense volta a dar concertos e não prometem arrasar, mas prometem algumas novidades, como sempre, festa! A entrada tem um custo de 5 euros (que revertem 100% a favor da banda) e tem o consumo mínimo obrigatório de uma bebida.

Fotos: DR