De Alcobaça para a Suécia, levando na bagagem a “História do Rock”


O livro A História do Rock – para pais fanáticos e filhos com punkada, surgiu como sendo o primeiro livro do género publicado em Portugal. As alcobacenses Rita Nabais – texto e pesquisa – e Joana Raimundo –  ilustrações -, produziram uma autêntica enciclopédia “divertida e essencial para todos os melómanos”.

Editado em dezembro de 2017, lançado pelas Edições Escafandro, sediada em Alcobaça, o livro tem superado as expetativas das autoras. “Apesar de ser uma temática de nicho, temos tido feedback muito positivo e muita curiosidade acerca do projeto”, refere Joana Raimundo, a ilustradora do livro, com quem a TIL teve o prazer de conversar.

Dez meses após o lançamento do livro, soube-se, este mês, que o projeto das alcobacenses chegou à Suécia, onde vai ser editada uma edição especial para o país (a banda sueca The Hives, por exemplo, foi adicionada nesta versão, assim como alguns extras). Para outubro segue-se a versão inglesa, que é fruto da campanha de crowdfunding realizada neste verão.

 

A edição sueca chama-se Boken om ROCK — för alla små och stora fans e será publicada em setembro pela editora Fandrake.

 

Com uma grande vertente ilustrativa, o livro inclui 150 imagens, descrições pormenorizadas, biografias e pequenos fun facts sobre bandas e músicos de vários estilos, como Chuck Berry, Lynyrd Skynyrd, The Smiths, Pink Floyd ou Rolling Stones, procurando criar um lugar na memória das crianças para os ícones dos pais. O (exaustivo) processo de escolha das bandas foi levado a cabo pela Rita Nabaisque pesquisou jornais, revistas e sites da especialidade, mas que contou também com a ajuda de pessoas de referência que elaboraram listas das bandas que consideravam mais importantes na história do Rock” – pode consultar as listas no site oficial do livro.

 

Guns’n’Roses – ilustração de Joana Raimundo

 

Mas como é que se lança uma verdadeira enciclopédia musical dirigida aos mais novos, com bandas que, muito provavelmente, nunca ouviram falar? “O objetivo era que os adultos pudessem explicar e partilhar com eles a música que ouviam e que, de certa forma, marcou as suas vidas. Por isso, o conteúdo foi desenvolvido a pensar nos pequenos, mas sempre com muito humor, porque apesar de ser uma enciclopédia, queríamos que fosse divertida de ler e de explorar”, sublinha a ilustradora.

Apesar de já ter ilustrado vários livros infantis,Joana Raimundo admite que esta edição foi a mais desafiante. “Este livro foi todo um processo de aprendizagem. Nunca tinha feito uma publicação com uma estrutura tão fluída, nem tantos retratos. Nesse sentido, foi preciso fazer muita pesquisa, porque não queríamos que as páginas fossem apenas uma coleção de texto com caras ao lado. Queríamos que houvesse algo mais, que complementasse visualmente, se possível, cenas humorísticas ou pistas que, se calhar, só os maiores fanáticos daquela banda é que vão apanhar”.

Após já terem marcado presença no Festival Paredes de Coura ou, mais recentemente, na Feira do Livro, no Porto, a ilustradora não quis revelar qualquer surpresa que o futuro possa reservar, deixando somente uma sugestão: “Acompanhem-nos nas redes sociais onde se vão descortinando as novidades todas”. Assim faremos, Joana!